fbpx
Jornal Corporativo
Portal de artigos e estudos Contábeis, Periciais, Jurídicos e de Negócios

Conflitos do Cotidiano – Como tratar

Como descobrir a melhor maneira de lidar com Conflitos do Cotidiano

0 482

Conflitos do Cotidiano – Como Tratar

Conflitos do Cotidiano – como tratar: Você já deve ter percebido que o ideal do mundo “cor de rosa” ficou apenas na música e que o nosso cotidiano é permeado por conflitos e problemas que devem ser tratados e rapidamente decididos, caso contrário ficamos reféns e não conseguimos “sair do lugar”. Assim, a velha ideia de que nosso tempo é tomado apenas por problemas, e o conceito de que “somente eu” tenho problemas no dia-a-dia pois essa ideia é ultrapassada, e muitas pessoas até entram em conflito consigo mesma, pensando que o problema está nelas.

Conflitos

Por conflito, em especial versando sobre conflitos do cotidiano, se entende um tipo especial de frustração, que se caracteriza pelo aparecimento, em um mesmo momento, de duas ou mais necessidades, desejos, ou interesses, ou pendências que pendem de respostas incompatíveis. O conflito poderá ser também entre pressões internas e externas incompatíveis ou entre exigências externas que não podem ser satisfeitas simultaneamente.
Os conflitos do cotidiano fazem parte de nossa vida pessoal e profissional, e mesmo que possam não ocorrer diariamente, com certeza surge com bastante frequência [as vezes até demais]. Assim é preciso descobrir a melhor maneira de lidar com ele, de reagir e agir à ele em vez de simplesmente achar que ele irá embora ou ainda, que o problema é com você.

Ambiente de trabalho

Antigamente, no ambiente de trabalho, os conflito do cotidiano eram entendidos de forma negativa algo a ser evitado a todo custo, e era também associado a existência de comportamento indesejável de alguém, visto como uma característica de indivíduos que não conseguiam se relacionar com outros, que não faziam parte da equipe ou simplesmente não se encaixaram. Vigorava a conceituação de que a melhor maneira de lidar com o conflito era evitá-lo, porém, como avanço dos estudos da psicologia aplicada ao ambiente de trabalho, o assunto foi sendo codificado e tudo isto mudou, concluindo que eles existem, devem ser estudados e controlados, e em alguns casos, até são utilizados como forma sadia de competição entre equipes distintas que buscam o cumprimento de metas.

  • Assim, atualmente, o conflito é visto de forma bem diferente, como um fenômeno normal e natural, e, além disso, como uma dinâmica interpessoal e quando tratado de maneira correta, pode ser ao menos administrado, e utilizado para se auferir resultados bastante criativos.
  • Seja qual for seu cargo – membro do pessoal de apoio ou da gerência, membro ou líder da equipe – sua capacidade de administrar é um fator decisivo para seu sucesso pessoal e profissional.
    • Sem a capacidade de administrar conflitos, você não pode ser bem sucedido em sua empresa.

Dependendo da natureza do conflito, o indivíduo poderá apresentar desde uma indecisão momentânea sobre que resposta apresentar, ou até mesmo uma vacilação ou um completo bloqueio.

  • Para evitar de entrar em conflito, organize-se a nível empresarial, familiar e social porque não estando bem em uma área as outras também vão mal.

Organização

A capacidade de organização é o processo de colocar em ordem o trabalho, de modo que você possa alcançar eficientemente suas meta e objetivos, mesmo sendo obrigado a administrar grandes conflitos. A falta desta, pode causar uma corrente de crise e interrupções, você corre o risco de terminar o dia frustrado, triste e preocupado, porque sente que não realizou nada. Se você cair em uma rotina de somente ver conflitos à sua frente e não conseguir resolvê-los, é preciso sair desse circulo vicioso e controlar as crises e interrupções.

Interrupções

As interrupções advindas dos conflitos do cotidiano fazem parte de nossa vida, e se você evitá-las, estará resolverá apenas metade do problema. Assim, não perca seu tempo resmungando pelas interrupções. tome uma atitude proativa e aja, lembrando que a melhor maneira  de sobreviver às interrupções é:

  • Aprender a encurtar as interrupções. Ninguém fala demais se não tiver platéia, pequenos papos causam grandes interrupções;
  • Aprenda a dizer não e aceite o fato de que você não pode fazer tudo, nem resolver tudo.
    • A preocupação de não desapontar os outros é nobre, mas não faz sentido você adiar suas prioridades.
    • O modo de compensar é não deixar a pessoa sair com as mãos vazias, encaminhe-a outra pessoa e seja gentil.
  • Evite ficar irritado pois nosso cérebro falha e decide errado quando nos irritamos.

Mesmo nas pequeninas coisas, face à alta competição do mundo atual, infelizmente, a avaliação do homem é feita em cima de seu desempenho, ou seja, nos resultados que ele apresenta, e quando se deparam com problemas insolúveis, o mundo pouco importa as circunstâncias adversas que tenham prejudicado tal desempenho, o que, aparentemente é profundamente injusto, porém, tudo isto faz parte de um dia perfeitamente normal é composto de vários acontecimentos diferentes, muitas coisas inesperadas acontecem e outras não dão certo.
Independente de suas experiências e ocorrências anteriores, nunca é tarde demais para aprender e mudar sua opinião sobre si mesmo e suas aptidões.

  • O ponto de partida para o auto-aperfeiçoamento é a auto-inspeção, ou ainda a introspecção. Tudo começa por uma avaliação honesta de seus pontos fortes e fracos e por um desejo intenso de mudar e sua maneira de ser.

É importante saber entender que, existem muitos aspectos de nosso caráter e de nossa personalidade que contribuem para nossa auto-estima, e que, mesmo de forma inconsciente, estamos constantemente adequando nosso comportamento às situações.
Note que falamos com nossos pais, diferente da forma como falamos com nossos filhos, com nossos empregados, com nossos chefes, nossos colegas, nossos vizinhos. Isto se deve ao fato de que nós somos é uma coleção de eus, alguns mais experiências e educados do que outro.

  • Se você conseguir entender esta característica, conseguir se ver dessa maneira, haverá mais esperanças de mudanças para você, do que se prender somente à um “eu” absoluto como se ele fosse um molde inflexível ao qual deve ajustar todo seu comportamento e ação, o que fará com que passe eternamente por todos os tipos de tortura.

Mudança comportamental

Já sabemos que não se pode mudar o passado, mas é possível mudar a maneira de como ele nos afeta. Deixe-o para trás. Assuma o compromisso de não deixar mais que os outros controlem a sua vida ou suas reações a eles, e aos ventos que eles criam.

  • Assuma o comando, saiba que a maneira como você vive a sua vida é opção sua e de mais ninguém, mas não se esqueça de que para isto é necessário que mude.

Para mudar algo a seu respeito, você precisa também aceitar o fato de que existem coisas que você pode controlar e outras que não pode.

  • Uma baixa alta-estima provavelmente resulta do efeito cumulativo da maneira de como seus pais, amigos, parentes, marido ou mulher, ou qualquer outra pessoa importante para você, o tratou no passado.
  • A sua auto-imagem foi desenvolvida durante toda uma vida de experiências – negativas e positivas – e você é o resultado delas, porém um evento isolado ou ocasional não vai eliminar o efeito cumulativo dessas experiências.

É possível mudar e você, certamente, já viu mudanças positivas na vida dos outros, e pode tê-las experimentado na sua própria vida. Você é capaz de mais coisas do que imagina, e, certamente ou simplesmente ainda não se testou o bastante para descobrir toda a grandeza que existe dentro de você.

  • Poucos de nós atingem o mais alto nível possível de realização, porque estão dispostos a se satisfazer com pouco.

A principal diferença entre os seres humanos e outras espécies animais é que somente nós temos a capacidade de decidir o que seremos.

  • Não somos governados pelo instinto, e nossa capacidade de pensar e raciocinar nos permite escolher o que desejamos realizar na vida e o tipo de pessoa que queremos ser.
    • Nenhuma outra criatura tem essa opção.

Estado emocional

Como estamos tratando dos conflitos do cotidiano, já sabemos que o estado emocional influência muito no seu cotidiano, que há chefes que um dia estão bem humorados, felizes e receptivos, mas no outro dia.

  • Cuidado com o homem: carrancudo, fechado, horrível e não quer falar com ninguém.
  • Esse comportamento atrasa o andamento da empresa, porque todos tem que esperar o dia em que o chefe está de bom humor, para lhe apresentar alguma ideia, plano ou projeto.

Por conceito ideal, os chefes deveriam ser os últimos a perder o controle dentro da empresa, pois são eles que comandam e motivam os funcionários, que o seu exemplo é indispensável, e que todo chefe teria que manter uma certa fleuma e um certo equilíbrio emocional.
Não importa se você é chefe ou funcionário, mas sim, o que importa é a sua forma de administrar, agir e reagir à tudo isto, e então, seguem algumas recomendações podem ser muito úteis:

  • Tenha responsabilidade, mas não se leve a sério demais, porque a vida perde a graça.
  • Não faça ”tempestade em copo d’água”, ou seja, não aumente os problemas.
  • Receba as críticas com a mente aberta e até com um sentimento de gratidão, para com aquele que as formulou, pois elas podem ser muito úteis se você corrigir os erros que lhe forem apontados.

Lembre-se que “quem perde a cabeça, prolonga a agonia e agrava os problemas, e, além disso cria muitos inimigos“. Lembre que a ansiedade, é um estado emocional que assemelha-se ao medo e à ira, visto que é provocada por algo que está ameaçando o indivíduo, e que alguns sintomas específicos da ansiedade são: insônia, nervosismo, dor de cabeça, irritabilidade, indisposição estomacal e preocupação.
Lembre que a frustração, ligada ao conflito resume-se na incapacidade de superar um obstáculo para se atingir um objetivo; se o objetivo não é alcançado, a pessoa fica abalada moralmente, inquieta e hostil.

Administrando a crise

Ao surgir uma crise use sua energia para solucioná-la e não para gritar com o funcionário; para resolver a crise pense no problema e não nas aparências, não deixe de aplicar uma das boas regras de administração, em momentos de crise, use um tempo para refletir e planejar sobre o que fazer, controle a crise sem ser controlado por ela e evite reagir com o que vier na cabeça.
Transforme a crise em oportunidade, sinta-se estimulado pelo desafio da crise mostre competência e use a oportunidade para crescer. Um bom gerente deve evitar ou reduzir as crises rotineiras com um bom planejamento, você deve praticar a prevenção e uma boa administração do tempo. Todos nós temos 24 horas por dia à nossa disposição, exatamente como todas as pessoas.

Administrando nosso tempo

Precisamos estabelecer prioridades para melhor aproveitar o tempo. A satisfação com a solução de um problema está amarrada ao fato de o problema não se repetir, pois a reincidência tornaria inútil todo o trabalho desenvolvido.
Muitas vezes ouvimos um executivo falar assim: “Hoje eu tenho tanta coisa para fazer, que não sei nem por onde começo”. Ou: “O dia precisa ter quarenta e oito horas”, ou coisas como: “eu trabalhei feito um desgraçado e hoje não fiz nada”. Tudo isso representa falhas na organização do tempo.
Tempo é vida. O presente de cada um depende de como se investiu o tempo passado, mas o futuro só depende de como se investe o tempo presente. Enquanto há vida, é tempo de recomeçar.
A primeira pergunta relevante sobre a administração do tempo é: como você deveria estar usando o seu tempo? Se, após refletir você não conseguir uma resposta satisfatória, é sinal de que você esteve dormindo o tempo todo. Acorde!
A segunda pergunta relevante é: como você está usando o seu tempo atualmente? Para responder a esta pergunta, faça um mapeamento do uso do tempo anotando detalhadamente, tudo que você fez na última semana e tudo que fará na próxima, desde o momento de dormir.
Ainda dentro do contexto da utilização do tempo, é preciso:

  • Aprender a priorizar;
  • Identificar, padronizar e aperfeiçoar seus processos de trabalho repetitivos.

Note que tudo o que nós temos que fazer é importante, mas temos que definir as prioridades a cada dia.

  • URGENTES, são aquelas coisas que você precisa fazer hoje, porque se não fizer, vai dar problema.
  • IMPORTANTES, são aquelas coisas que você deveria fazer hoje, mas se não fizer pode fazer amanhã.

Urgente x importante

Logo de manhã cedo, coloque em cima de sua mesa um formulário escrito URGENTE e IMPORTANTE, e em seguida comece a estabelecer as prioridades. Relacione primeiro as urgentes, depois as importantes e em seguida numere em ordem de importância: qual é a mais urgente das urgentes? Faça isso também com as importantes, feito isso, concentre-se no número um, das urgentes e leve até o fim.
Fazendo isso diariamente, poucos problemas transformaram-se em grandes crises. Seu tempo é seu maior tesouro, não deixe as crises e interrupções evitá-lo de fazer o que é realmente importante para você. Um fato é certo: não se deixe seduzir pela ideia de que “na hora a gente vê como faz”. Assim o dia será perfeitamente normal.
Se existe uma característica comum às pessoas de sucesso, é que elas sabem para onde vão. Se você não tem ideia para onde está se dirigindo, uma direção é tão boa quanto outra, mas todos os caminhos não levam ao mesmo fim.
Sem metas específicas e planos definidos de como pretende alcança-las, é pouco provável que chegue a algum lugar que realmente valha a pena. Assim, certamente jamais realizará a seu potencial.

  • Sem metas é impossível medir seu progresso, porque você não sabe onde deveria estar em um determinado momento do seu desenvolvimento.

Vença a si mesmo – Esta é a sua eterna batalha!

Combata a auto complacência e o conformismo com todas as suas forças. A auto estima (e o sucesso que ela proporciona) não vem dos outros, nem é um subproduto do ambiente, ela é uma força que só pode vir de dentro da gente.
Só quando você olha para dentro de si mesmo é capaz de descobrir o poder que o manterá no caminho certo, você é melhor do que pensa e pode enfrentar com sucesso os grandes desafios que o aguardam, basta apenas liberar essa energia.
[pullquote align=”normal” cite=”Edgard Guest.”]“Tenho que viver comigo, portanto, tenho que me sentir competente. Quero me sentir capaz sempre, e, sempre poder me olhar nos olhos. Não quero me sentar perante o crepúsculo e me odiar pelas coisas não fiz.” [/pullquote]

Autoria:

Este estudo foi desenvolvido e aplicado à 10 mãos em 1992 pela Equipe Garavelo sob a coordenação do consultor Wanderley Pinho, posteriormente foi atualizada e revisada à quatro mãos em 1998. Em 17.02.2000 foi novamente revisada e ampliada à duas mãos. Novamente em janeiro de 2018 passou por atualizações e adaptações de conceitos à modernidade atual, à duas mãos por parte do professor e consultor Walmir da Rocha Melges, sempre dentro do tema central que é o Conflitos do Cotidiano – como tratar.

Você gostaria de receber atualizações de nosso Jornal Corporativo em tempo real? Direto no seu celular ou desktop? Use nossa tecnologia de Notificação Push, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar