fbpx
Jornal Corporativo
Portal de artigos e estudos Contábeis, Periciais, Jurídicos e de Negócios

Conhecer e Entender

Existe substancial diferença entre o simples “conhecer” e o “saber porque”

0 348

CONHECER E ENTENDER – Lopes de Sá

Conhecer e entender: Existe substancial diferença entre o simples “conhecer” e o “saber porque”. Não são poucas as coisas que usamos, vemos, ouvimos, sentimos e que nunca nos preocupamos em “entender”.

  • Há uma relevante diferença entre estar informado e saber o que representa a informação.

O real progresso da humanidade ocorreu quando seres deveras inteligentes buscaram “entender” o que percebiam.
Entre a “forma” e a “essência” existe uma distância a ser percorrida para que a evolução espiritual e material se processe.
A “alavanca”, por exemplo, era conhecida e usada muito antes de Arquimedes (287-212 A.C.), mas, foi este personagem genial quem procurou entender sobre o exercício da força.
Formular os efeitos, buscar as causas, conquistar o entendimento, foi a tarefa desse luminar do mundo antigo.
O conceito de peso, de unidade de volume, também já era percebido e usado centenas de anos antes que o sábio conquistasse a compreensão inicial sobre a “densidade dos corpos”, mas, esta, só ele a percebeu, determinando o “peso específico” dos corpos.
Existisse, na época em que ele viveu, um processo de notação matemática e, certamente, mil e oitocentos anos antes de Isaac Newton ele teria desenvolvido o cálculo integral, pois, vizinho deste chegou.

  • O conhecer, sem entender, pois, não enseja chegar ao essencial e nem abre portas para a evolução.

Observar, raciocinar, juntar razões, concluir sobre o porquê dos acontecimentos, foi a sequência que levou os seres humanos a edificar racionalmente o conhecimento.
Curiosidade, apenas, não basta, pois, é, simplesmente, uma etapa em um processo que exige organização racional do pensamento.
Quando uma criança desmancha um brinquedo, para ver “o que este tem”, inicia uma fase na vida e que é a da “análise”, embora falte recursos para entender sobre as razões do que encontra, tão como para conhecer as causas sobre o encontrado.

Conclusão

O verdadeiro conhecimento, em sua plenitude, é o que explica as causas e enseja a interpretação do porquê das existências.
Quando nos é permitido pelo destino, todavia, o exercício pleno da consciência, esta como manifestação da energia eletromagnética que em nós habita, é-nos permitido valorizar o prodígio de viver e, então, a nós só nos resta agradecer o encontro com a “essência”.
Autoria: Antônio Lopes de Sá
Republicado por Walmir da Rocha Melges sob autorização em 31.03.2005 sobre “CONHECER E ENTENDER

Você gostaria de receber atualizações de nosso Jornal Corporativo em tempo real? Direto no seu celular ou desktop? Use nossa tecnologia de Notificação Push, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar