fbpx
Jornal Corporativo
Portal de artigos e estudos Contábeis, Periciais, Jurídicos e de Negócios

Fazenda das Três Lúcias – Moderna fazenda em área de terras ruins

Nova fazenda [1956], em que propõe aplicar novas normas de trabalho, renovar e inovar

0 1.504

FAZENDA DAS TRÊS LÚCIAS – MODERNA FAZENDA EM ÁREA DE TERRAS RUINS

Fazenda das Três Lúcias: Foi inaugurada sábado último a Fazenda das Três Lúcias, de propriedade dos Srs. Djalma Forjaz, Djalma Forjaz Junior e Nicolau Forjaz, situada no município de Santa Rita do Passa Quatro (km 286 da rodovia São Paulo-Ribeirão Preto).

Sábado último foi inaugurada a Fazenda das Três Lúcias – Um programa ambicioso em que se destaca o propósito de demonstrar as possibilidades econômicas da exploração de terras pobres – Leite, culturas anuais e restauração do solo – Aplicação das normas de administração da indústria à propriedade rural – Relações humanas no trabalho – Há vontade de acertar

INTRODUÇÃO

Poderá parecer estranho falar da inauguração de uma fazenda. Mas é com inteira propriedade, o termo que se aplica ao início das atividades de uma nova fazenda, em que propõe aplicar novas normas de trabalho, renovar e inovar, com um programa deveras ambicioso, em que se inclui, como item mais avançada, o propósito de demonstrar as possibilidades econômicas da exploração de terras pobres, exauridas, ruins mesmo, como os Forjaz não o escondem.

Antiga Casa sede da Fazenda das Três Lúcias em Santa Rita do Passa Quatro – SP

Armam-se os seus proprietários de todos os recursos da agronomia, reúnem a colaboração de técnicos e especialistas, querem imprimir à gerencia de uma fazenda os princípios da administração racional, interessam-se pelos problemas das relações humanas no trabalho, desejam dar aos operários melhor padrão de vida, animados, enfim, desse espirito realizador e entusiástico que, como já se comprovou na área de Campinas, está marcando a abertura de uma era nova na agricultura paulista.
Dentro de cinco anos, provavelmente, será possível aferir os resultados da ousada experiência que se intenta em terras pobres de Santa Rita do Passa Quatro, que, se bem sucedida, poderá exercer profunda influência nessa região e talvez mesmo em todo o Estado. É cedo ainda para formular prognósticos, mas o trabalho pioneiro começa sob os melhores auspícios e há, da parte de seus condutores, vontade de acertar.

TRÊS LÚCIAS

Três Lúcias, a mãe, a irmã e a esposa de Djalma Forjaz

Muito embora a reportagem original da Folha da Manhã não identifique qual o motivo para a propriedade ter sido denominada de Três Lúcias, eu decidi, em minha revisão, incluir esta explicação uma vez que assim se completa mais um pontinho da história e se divulga qual foi o motivo, qual seja o de uma homenagem familiar.
Ocorre que o Sr. Djalma Forjaz tinha uma grande afeição pelas três mulheres que detinham especial carinho pessoal seu. Sua mãe se chamava LÚCIA, e da mesma forma, uma das suas irmãs, também recebeu o nome de LÚCIA, e por uma feliz coincidência da vida, ele acabou casando-se com uma mulher que também se chamava Lúcia.
Com isto, quando comprou esta gleba acabou denominando a propriedade de Fazenda das Três Lúcias.
Estas informações me foram passadas por um garotinho, coincidentemente com a mesma idade que eu tenho, nascidos que o somos em 1949, o qual depois de atravessar mares, rios, montanhas, estados, países e cidades, tendo nascido na Suíça, mas sendo cidadão Holandês, como seus pais, o qual viveu por alguns anos nesta propriedade. As fotos que utilizo nesta matéria foram coletadas pela mãe dele à luz daquilo que existia na propriedade lá pelos idos de 1956 em diante, e como ela era muito organizada, guardou com carinho todos os negativos, dos quais, o garotinho, gentilmente me forneceu cópias digitalizadas de alta qualidade.
Como o ceticismo é o meu forte, e eu possuo quase todas as escrituras de compra e venda desta e das demais glebas da antiga Fazenda Glória, qualquer hora irei conferir, para comprovar, se esta é realmente a origem do nome Fazenda das Três Lúcias, ou se o caso é mais antigos ainda.

BREVE HISTÓRICO

A Fazenda das Três Lúcias instala-se em gleba remanescente da antiga Fazenda da Gloria. Essa área, de cem alqueires, em razão de pendencia judicial (tocou a mais de vinte herdeiros), estava abandonada havia cerca de trinta anos. Ao lado da gleba, situa-se uma mata pobre (cerrado), de cerca de trezentos alqueires, com reserva de 80.000 metros cúbicos de lenha, a qual há muito tempo vem sendo explorada pela Cerâmica Porto Ferreira, que a utiliza como combustível.
Em novembro do ano passado, os Forjaz, proprietários daquela indústria, adquiriram a referida gleba de cem alqueires, Fazenda das Três Lúcias. A princípio, cogitavam apenas de organizar uma pequena produção leiteira junto à reserva de mata, mais com o objetivo de diminuir os gastos com a guarda e manutenção desta.

ESBOÇA-SE O PLANO

As terras são fracas. Dos cem alqueires, apenas parte oferece condições para o cultivo, especialmente dezessete deles, classificados como de terras de segunda. Dado o seu abandono, os pastos achavam-se praticamente imprestáveis, as instalações da sede arruinadas, o abastecimento de água cortado pela ferrugem, que corroera os encanamentos, não havia facilidades de energia elétrica nem de acesso.

  • Os proprietários da Três Lúcias, com o propósito de estabelecer pequena produção leiteira, iniciaram então visitas aos pecuaristas da zona, notadamente a fazenda do Sr. Alciro Meireles, em Santa Rita do Passa Quatro. Os resultados colhidos por esse e outros pecuaristas levaram os Forjaz à convicção de que as suas terras poderiam ser racionalmente aproveitadas.
Usina de processamento de leite da Nestle em Porto Ferreira

E então, pensando já em ampliar o primitivo projeto, reuniram-se com agrônomos, fazendeiros da zona e homens ligados aos problemas da exploração agropecuária. E dessas reuniões nasceu o plano de aproveitamento maior da fazenda, tendo por base a pecuária leiteira (para fornecimento a uma fábrica de laticínios de Porto Ferreira), culturas anuais e recuperação paulatina dos solos com o emprego do composto.
Visitas a outras propriedades como a Monte D’Este em Campinas, e a Rio da Prata, em Valinhos, serviram para robustecer a convicção de que seria possível levar a cabo um programa de tal porte em Santa Rita.

 O QUE JÁ SE FEZ

Cuidou-se então das primeiras providencias para a instalação da nova propriedade. Construíram-se as residências do administrador e de seu assistente, reformaram-se as colônias (dotadas agora de água e luz), organizaram-se os serviços de força elétrica, refizeram-se os caminhos de acesso e os fechos da Fazenda das Três Lúcias.

Estábulo

Estábulo Fazenda das Três Lúcias

Também se ergueram o primeiro estábulo (para 60 vacas), a pocilga, o paiol, a casa de máquinas. Começou-se o trabalho de reforma de pastos e de sua ampliação, iniciou-se a produção própria de sementes e mudas.
A produção de leite será a base da Fazenda das Três Lúcias. Neste estábulo, em que se tem em vista também a produção de composto dá se começo à formação de um rebanho de gado holandês, preto e branco, puro de origem ou puro por cruza.

 Plantio de tomate

Primeiro plantio de tomates da Fazenda das Três Lúcias

Plantaram-se cerca de 40.000 pés de tomateiros na Fazenda das Três Lúcias quando dos preparativos para a inauguração, que ora estão próximos da colheita e apresentam bom desenvolvimento.
Desenvolve-se bem o tomateiro na fazenda em que se pretende demonstrar as possibilidades econômicas da exploração de terras ruins.

Silo Trincheira

Silo-Trincheira na Fazenda das Três Lúcias

Milho e guandu já foram colhidos para abastecer o primeiro silo-trincheira, com capacidade de 150 toneladas, para a alimentação do gado. (Esse silo, ainda existente na Fazenda das Três Lúcias, é revestido de tijolos e sua construção orçou em 15.000 cruzeiros, calculando-se que 3.000 correspondem ao revestimento, que visa evitar o desperdício da silagem). Pretende-se, com o tempo, instalar novos silos, à razão de três por estábulo.
Este silo-trincheira, revestido de tijolos, tem capacidade para 150 toneladas.

O REBANHO HOLANDÊS

Chegada das primeiras matrizes de gado da raça holandesa

Constituiu-se um rebanho de gado holandês preto e branco, puro de origem e puro por cruza, que monta a oitenta cabeças, na maioria novilhas. O gado passa a noite e parte do dia no estabulo, planejado para a produção de composto, que será a base do programa de restauração do solo.
A silagem de milho e guandu é quase a única alimentação dos animais, que dispõe agora de pouco verde, pois os pastos da Fazenda das Três Lúcias se achavam abandonados e sofrem reforma. Cogita-se ampliar as pastagens, de desenvolver a produção de forragens, de instalar capineiras, criando-se um sistema racional de arraçoamento do rebanho em todas as épocas do ano.
Por outro lado, está em operação o serviço de inseminação artificial, com semem fornecido pela Faculdade de Medicina Veterinária de São Paulo.

ALGUNS ITENS DO PROGRAMA

Na Fazenda das Três Lúcias, com equipamento pesado de uma empresa particular, foram destocados e arados cerca de quarenta alqueires. Drenou-se uma várzea de seis alqueires, que se pensa em aproveitar ulteriormente para a cultura de arroz, com irrigação por gravidade.
Esses e outros trabalhos preliminares serão paulatinamente ampliados, com o aumento do rebanho bovino e da criação de suínos, a restauração e a conservação dos solos e a edificação de novas benfeitorias, a construção de casas para operários (higiênicas e confortáveis), aos quais se pretende proporcionar um serviço de assistência social, para que possam melhorar o seu nível de vida.
Segundo nos declarou o sr. Nicolau Forjaz, os trabalhos preliminares exigiram a inversão de capital novo e a produção incipiente da fazenda ainda não cobre as despesas de operação.
Tais despesas deverão superar a receita ainda por mais um ano, aproximadamente. Está previsto igualmente um período não remunerativo (com reinversão de lucros) de mais quatro anos, depois do que se deverá passar a uma fase positiva da organização, como empresa lucrativa.

  • “Constitui-se objetivo básico da Fazenda das Três Lúciasacentuou-se o sr. Nicolau Forjaz – através da arregimentação de uma tecnologia avançada, provar mais uma vez a possibilidade da exploração econômica de terras más, revigorando-as com elementos básicos tirados delas próprias.”

É de notar também que a experiência de administração adquirida no setor industrial pelos Forjaz [Cerâmica Porto Ferreira], será aplicada na fazenda, com as devidas adaptações às peculiaridades do meio rural. Ademais, o empreendimento é orientado por um grupo de consultores, alguns deles remunerados e outros que lhe dão a ajuda de sua experiência.
Colabora igualmente nesse trabalho a Cia. Nestlé, através do A.N.P.L. (Auxílio Nestlé para o Produtor de Leite), que nas zonas de Araras, Porto Ferreira e outras está desenvolvendo um programa de assistência ao pecuarista, nos setores de silagem, pulverização e vacinação do gado, recuperação do solo, distribuição de mudas de capim e de sementes de leguminosas.

A INAUGURAÇÃO

Inauguração Fazenda das Três Lúcias

A festa de inauguração da Fazenda das Três Lúcias, sábado último, compareceram numerosos fazendeiros, técnicos, operários rurais e outros convidados.
Após visita às instalações da sede, foi servido um churrasco aos presentes. No decorrer da festa, pe. Arnaldo Padovani, vigário de Santa Rita do Passa Quatro, usou da palavra, invocando a proteção divina para o empreendimento: Fazenda das Três Lúcias.

Inauguração Fazenda das Três Lúcias

Falaram em seguida, os srs. Djalma Forjaz Junior e Nicolau Forjaz que, com breves palavras, expuseram o programa traçado para a Fazenda Três Lúcias e agradeceram a cooperação que tem recebido para o êxito do trabalho que se propõe realizar.
Autoria
Folha da Manhã – Texto de Paulo POMPEU – Fotos de Salvador ARICO

INFORMATIVO FINAL

Esta é a primeira matéria sobre a Fazenda Glória e Fazenda das Três Lúcias em Santa Rita do Passa Quatro [SP], sendo que a segunda matéria irá abranger o período no qual ela pertenceu à Família Gianetti, a terceira matéria, quando pertenceu ao SHEIK [Rei] do CATAR, em seguida a quarta matéria relativa à venda de parcela maior para a Família Tinelli, a quinta matéria relativa à transformação de parcela menor, destacada da gleba que foi conhecida como Fazenda das Três Lúcias, em um belíssimo hotel fazenda, e finalmente a sexta matéria, relativa à fase na qual pertence ao casal xxxx, e é utilizada apenas como residência de fim de semana.
A matéria original sobre a Fazenda das Três Lúcias, foi reproduzida e aumentada, nesta versão, da por Walmir da Rocha Melges que adicionou novas imagens, e inseriu anotações [como forma de completar e melhorar a qualidade histórica deste importante documento] alterando o título original que foi publicado na edição no 9.902, Ano XXXII, Caderno de Assuntos Especializados do jornal FOLHA DA MANHÃ, em São Paulo – Quarta-feira, 08 de agosto de 1956 sob o título original de: “ORGANIZA-SE EM SANTA RITA DO PASSA QUATRO MODERNA FAZENDA EM ÁREA DE TERRAS RUINS”.
À partir da compra da Fazenda das Três Lúcias por parte da Família Gianetti, a propriedade juntou-se com parcela da antiga Fazenda Glória que tinha gleba maior, e então desapareceu o nome Fazenda das Três Lúcias, passando a propriedade a ser conhecida somente como Fazenda Glória, como já tinha sido anteriormente.
Esta matéria apenas por motivos de estética da internet teve o seu título alterado para: FAZENDA DAS TRÊS LÚCIAS – MODERNA FAZENDA EM ÁREA DE TERRAS RUINS.

Você gostaria de receber atualizações de nosso Jornal Corporativo em tempo real? Direto no seu celular ou desktop? Use nossa tecnologia de Notificação Push, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar