fbpx
Jornal Corporativo
Portal de artigos e estudos Contábeis, Periciais, Jurídicos e de Negócios

Paradoxo dos direitos individuais

1.511

Paradoxo dos direitos individuais

Paradoxos dos direitos individuais: Não temos dúvida de que a sociedade evoluiu bastante, principalmente nos últimos 20 anos, quando foram consolidados e reconhecidos muitos direitos individuais que até já existiam, como outros tantos que foram adquiridos, porém vemos que a distância entre o “ter o direito” e “poder exercer e ver reconhecido tal direito” ainda é gigantesco, principalmente quando o direito individual se contrapõe aos interesses grupais, corporativos e cartelísticos.

E assim, sentindo-se impotente e desassistido no confronto, muito embora seja detentor do direito, o individual assiste e sente-se impotente diante da dificuldade e por vezes a impossibilidade, de cobrança dos seus direitos.

Revela-se então um verdadeiro paradoxo. Em termos rasos, um paradoxo é o oposto do que alguém pensa ser a verdade, como também pode ser uma declaração verdadeira que leva a uma contradição lógica, na medida em que a declaração, muito embora seja verdadeira, ela se contradiz diante da prática comum.
Este paradoxo dos direitos individuais foi lavrado pouco tempo antes do início da operação lava-jato que começou a passar a limpo os atos de corrupção de integrantes do cenário político e econômico nacional, porém ele foi suscitado ainda por ocasião da operação do Mensalão, quando os brasileiros puderam constatar, em alguns muitos casos sem “poderem crer”, o distanciamento ocorrido entre os fatos apurados e relatados através da grande mídia e as penalidades impostas aos atores que protagonizaram a grande novela brasileira do descaso, do desacato permitido contra a Lei e a Ordem Nacional.
Infelizmente, deflagrada a Operação Lava Jato, comprovou-se a continuidade das mesmas doenças sociais que já predominavam no cenário político e econômico pátrio, e em muitos casos durante os 3 anos que já decorreram em investigações e apurações, constata-se a existência do mesmo estigma maléfico, pois muito embora muitos direitos individuais tenham sido conquistados nas últimas décadas, eles continuam, sem dó e sem solução, sendo pisoteados pelos interesses mesquinhos e ilegais de membros dos variados calibres do clero político brasileiro.
Walmir da Rocha Melges – 27.02.2014 – atualizado em 23.01.2018 pela continuidade dos atos que confirmação a tese – Paradoxo dos direitos individuais

Você gostaria de receber atualizações de nosso Jornal Corporativo em tempo real? Direto no seu celular ou desktop? Use nossa tecnologia de Notificação Push, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar