fbpx
Jornal Corporativo
Portal de artigos e estudos Contábeis, Periciais, Jurídicos e de Negócios

Trabalho em Equipe funciona

A difícil sobrevivência dos líderes que centralizam todas as decisões.

0 352

TRABALHO EM EQUIPE FUNCIONA

Trabalho em equipe: A globalização do mercado e os ventos de modernidade aliados aos novos conceitos de qualidade, obrigaram as empresas rever sua forma de trabalho, e à cada dia que passa, torna-se mais difícil a sobrevivência dos líderes que centralizam todas as decisões pois no ambiente empresarial necessitam-se, dia à dia, um maior volume de informações e conhecimentos para a tomada de decisão à nível administrativo e produtivo.

  • Dentro deste conceito, as empresas passam por verdadeiras revoluções objetivando ocupar seu espaço dentro de um mercado cada vez mais competitivo, e uma das principais revoluções, diz respeito a sua forma de tomar decisões, em tempo real.
  • Dentro deste escopo, adotaram-se diversas técnicas objetivando a racionalização e otimização do trabalho, e dentre elas evoluiu de forma decisiva aquela que antes era chamada de grupo de trabalho:

A síntese desta antiga forma de trabalho [grupo de trabalho] era a atuação de diversas pessoas trabalhando de forma dispersa sob a orientação de um líder, que depois evoluiu para um novo formato que recebeu a denominação de trabalho em equipe recebendo novos conceitos que vieram aperfeiçoar o assunto:

  • Assim, entende-se como trabalho em equipe, o conjunto de pessoas que juntas buscam objetivos comuns, através da criação de um processo de interação entre seus membros e um clima de sinergia e cumplicidade;
  • Todos compartilham de um mesmo objetivo, tarefa, ou projeto, muito embora, com o advento das técnicas de TI, não mais seja necessário que todos estejam juntos em um mesmo local físico.
  • Desta forma, do local lógico onde esteja fisicamente cada membro da equipe, cada um agrega o seu trabalho e executa suas tarefas, como também colabora com os seus valores, suas experiências e suas crenças no afã de cumprir com as metas determinadas.

Assim sendo, cada um, dentro do alcance de suas expertises e responsabilidades toma parte ativa no projeto, no estudo, e na proposição de soluções para o problema na forma de trabalho em equipe:

  • Reconhecendo o assunto;
  • Definindo as alternativas;
  • Traçando planos;
  • Resolvendo problemas comuns;
  • Trabalhando em equipe, através da divisão de responsabilidade entre os setores;
  • Cumprindo suas rotinas e se empenhando no cumprimento das metas globais e individuais.

Como toda técnica gerencial, o trabalho em equipe necessita da adesão pura e irrestrita das pessoas envolvidas no processo, quais sejam os componentes do corpo de profissionais, colaboradores e os representantes da administração da empresa. Se isto não ocorrer, certamente o projeto sairá prejudicado, a equipe terá problemas, e a teoria do trabalho em equipe se revelará apenas mais uma das teorias [modismos] que acabam não dando certo.
Constata-se então que o fator mais importante desta técnica é o Ser Humano e a sua disposição de aceitar ou não esta filosofia de trabalho, e assim, como em qualquer outra atividade, a certeza do sucesso reside apenas na vontade do homem.

  • Se ele aderir ao trabalho em equipe, a equipe, os membros, e a empresa conseguirão seus frutos.
  • Se ele não aderir, pode ter a certeza de que a empresa não conseguirá seus objetivos, e o profissional renitente pode ter a certeza de que ele estará prejudicando a si mesmo, à equipe, e a evolução da empresa.

O trabalho em equipe resulta vantagens às empresas e às pessoas:

  • Vantagens às empresas na exata proporção que as equipes passam a  romper tradicionais barreiras interdepartamentais facilitando a comunicação, melhorando a coordenação e integração, e sobretudo causando um menor tempo de reação, que redundará na tomada de decisões mais rápidas.
  • Vantagens às pessoas, as quais, ao conviverem em equipes, conseguem captar para si, um verdadeiro e maior aprendizado com a experiência dos outros membros da equipe;
  • Através de um maior envolvimento profissional, social e emocional, as pessoas, na medida que participam das decisões e se comprometem com os resultados, conseguem uma maior motivação para o trabalho e uma satisfação pessoal como profissional e como Ser Humano.

O trabalho em equipe é uma questão de maturidade individual, pois implica escutar as pessoas, abrir mão de opiniões e concordar que os pontos de vista dos outros membros possam ser mais adequados que os nossos.

Objetivo do trabalho em equipe:

O principal objetivo das empresas é o de criar equipes participativas capazes de engajarem-se às metas da empresa através do comprometimento e participação das pessoas, dentro de um processo que possa provocar a economia com redução de custos, a racionalização das operações e a maximização do lucro, tudo isto dentro de um sistema que valorize o Ser Humano e o fixe no trabalho dentro de bases racionais.

  • Assim agindo, todos poderão colaborar para que a empresa se torne mais ágil e flexível, ou seja melhor preparada para sobreviver no ambiente globalizado e competitivo na atual conjuntura.

A prática já demonstrou que quando o trabalho é planejado por uma equipe, desenvolve-se uma maior conscientização coletiva a respeito do assunto, proporcionando desta forma melhores resultados para a empresa e o crescimento técnico e humano do homem, mas para que o trabalho em equipe seja eficaz e o trabalho em equipe possa funcionar são necessárias a ocorrência de outros fatores primordiais:

  • Cada um dos membros da equipe devem ter um bom conhecimento do perfil temperamental dos seus colegas de equipe e também dos seus superiores, de forma que possa reconhecer, compreender e entender os comportamentos, as motivações, e as reações dos colega.
  • Cada um deve querer que também os outros atinjam seus objetivos tanto quanto ele.

Se a equipe se revelar apenas um agrupamento de indivíduos sem sintonia, haverá apenas desperdício, pois somente existe trabalho em equipe, quando todos entregam-se ao trabalho com coesão, participação e cumplicidade quanto ao resultado almejado.

  • Trabalhar em equipe não é tão simples assim, e então é necessário muito treinamento, desprendimento e dedicação de todos, mesmo porque, normalmente, não estamos acostumados trabalhar em equipe por temos uma normal tendência para o isolamento, ou seja cultivamos o espírito do “lobo solitário”, e isto nos faz acima de tudo egoístas e competitivos.
  • Dentro do contexto sócio-econômico atual, podemos afirmar que o sucesso de uma organização é substancialmente influenciado pelo desempenho dos diversos grupos que interagem entre si, no âmbito de toda a hierarquia da empresa.

Campo da aplicação do trabalho em equipe:

Todas áreas e atividades da empresa moderna representa fonte de aplicação do formato de trabalho em equipe, principalmente na solução dos problemas cotidianos, no lançamento de novos produtos, nas decisões e tomada de ações cotidianas. Todas estas atividades padecem do resultado de um esforço em conjunto entre o empresário e sua equipe de trabalho, haja vista que nenhuma empresa pode chegar a lugar nenhum sem necessitar da ação das pessoas, as quais se utilizam das suas experiências, expertises, orientações e informações acumuladas em eventos passados, tudo isto acumulado nas suas mentes.
Nesse sentido, uma das principais obrigações do profissional que ocupa algum cargo de direção é o de estimular a coesão, pois uma empresa coesa sempre estará preparada para enfrentar os desafios da globalização. Neste afã de coesão é que entra a utilidade da formação de equipes de trabalho obedecendo à filosofia de trabalho em equipe, que é fundamental.

  • A prática já demonstrou que um grupo coeso é determinado e criativo, pois a interação entre os seus membros é rápida e não necessita de supervisão constante.
  • Por outro lado o grupo coeso deve ter sempre a mente aberta às inovações e novas tecnologias, para que não fique relutando quanto a idéias novas, e não se torne apenas reivindicador.

Características de uma equipe vencedora:

O trabalho em equipe requer um grupo de alto desempenho e seu potencial de trabalho é grande quando bem administrado, pois além de obter participação objetiva, alcança alto estágio de  evolução, na medida em que consegue ultrapassar os modos tradicionais de solução dos problemas. Vejamos características que podem fazer diferença:

  • Confiança mútua;
  • Auto-sustentação;
  • Objetivo definido;
  • Comunicação vertical, horizontal e transversal;
  • Aproveitamento das habilidades individuais;
  • Comprometimento com os resultados;
  • Feedback constante;
  • Trabalho com quantidade e qualidade;
  • Liberdade de expressão;
  • Criatividade e inovações.

Como líder, você deve oferecer aquilo que o funcionário necessita receber. Infelizmente muitos dirigentes ainda acreditam que a motivação – conjunto de motivos que explicam, induzem, incentivam e estimulam algum tipo de comportamento – é obtida apenas por meio de salário, e que aquele que não estiver contentevá buscar lá fora uma oportunidade melhor“.

  • Não dá outra, o funcionário vai mesmo e muitas vezes encontra: O dinheiro motiva mas o efeito é apenas momentâneo.
  • Geralmente, a visão passada aos dirigentes empresariais é de que as pessoas trabalham somente por questões salariais, e não é bem assim.
  • Procure então alternativas motivacionais, concretas e palpáveis, mesmo que seja transferir seus sonhos e anseios para seus colaboradores e pares.
  • Se não souber incentivar e envolver todos no cumprimento dos objetivos, a desmotivação interna irá aumentando e o descomprometimento redobrando a cada descontentamento e saída de cada funcionário.
  • Lembre-se que muitos não saem da empresa, mas “saem da equipe”, desinteressando-se e perdendo o comprometimento.

Com o passar dos tempos, é normal ver cair o envolvimento dos funcionários com seu trabalho, procure então novas motivações para com ele, pois afinal de contas, quem deve manter a moral alta e a produção em dia, é você: líder, gerente, diretor, proprietário.
Mas uma questão é importante: de nada adianta o dirigente motivar seus funcionários, se eles não quiserem ser motivados e vice-versa. Continuamente  o valor de trabalho está passando por transformações e sofrendo uma crise de paradigmas, assim, cada pessoa deverá ser motivada de forma diferente, pois possui expertises, necessidades e emoções distintas.

  • Mesmo assim, Cuidado !!! com a motivação, pois uma vez satisfeita uma necessidade, automaticamente surgirão outras.
  • Não se esqueça que é no trabalho que  o homem busca a satisfação de suas necessidades.
  • Muitas pessoas são impulsionadas pelo dinheiro, outras por interesses de segurança, inserção social ou auto realização.

O trabalho em grupo não pode ser lei e nem código de regras, mas sim uma aceitação: é apenas um modo de olhar o mundo, é uma ideia, uma forma de trabalhar.
Algumas recomendações valiosas:

  • Não fale em equipe. Aja como equipe.
  • Em vez de dizer “eu vou”, diga “nós vamos”.
  • Nunca diga “vou fazer”: diga “vamos fazer”.
  • Não diga “isso é meu”, diga “isso é nosso”.
  • Assim agindo, certamente, todos irão sentir-se melhor, e irão aderir às suas ideias.

Certamente você pode apenas sua parte e se dar por satisfeito, mas pode fazer muito mais e alcançar a prosperidade. Poderá trabalhar ao lado dos demais e apenas funcionar, ou trabalhar com os demais e crescer. Realize as tarefas com dinamismo, organização e cooperação.

  • A camaradagem e a cumplicidade são inerentes ao espírito de equipe. São qualidades que agregam valores e separam as equipes verdadeiramente grandes e vencedoras, daquelas medíocres.
    • A vencedora sistematicamente cruza a linha de chegada em primeiro lugar, o que a torna diferente,  e preocupa-se em realizar as atividades como um grupo e não como indivíduo.

O que começamos a sentir, quando alcançamos essa unanimidade de ação, é um espírito de equipe que dificilmente encontraremos em qualquer outra atividade.

  • Essa atitude é tão contagiosa que todos os membros lutam com a mesma empolgação.

Trabalhar juntos significa ser responsável e estar aprimorando-se, acompanhando a tecnologia, assim sendo, pequenas causas geram grandes efeitos.

  • Depois que tudo é realizado, o trabalho em conjunto não só faz florescer o melhor de todos, mas consegue extrair o melhor que existe em cada um.

Para a formação de um grupo de pessoas que pense e aja com o espírito de equipe. Para que trabalhem em equipe, é necessário a existência de:

  • Disposição para aceitar desafios;
  • Coesão;
  • Comprometimento com as metas e resultados almejados;
  • Responsabilidade no cumprimento de suas tarefas;
  • Qualidade nos seus atos

O coordenador de cada equipe deve estar sempre atento para aproveitar as diversas habilidades dos seus componentes, dentro da melhor forma possível, e como também estar ciente da diversidade temperamental e bagagem profissional de cada um.

  • A falta de coordenação sempre levará a conflitos, duplicidade de função e ineficiência.
  • Por isso a equipe deve lembrar-se que deve ser organizada e coordenada.

Portanto, é necessário identificar os pontos que poderiam bloquear as ações criativas nos trabalhos em grupo, desmistificando a competitividade. Para que isso possa acorrer, torna-se necessário uma comunicação adequada e uma liderança eficaz.

  • Dessa forma, é importante que estejamos seguros do nosso potencial para conseguirmos controlar nossas emoções, aproveitando ao máximo o trabalho em equipe para reconhecer falhas e desenvolver habilidades.

Maturidade e treino são as palavras de ordem:

Pata do pressuposto e que sempre temos algo à contribuir. Enquanto integrantes do grupo, ou como apenas um componente da organização, todos temos algo a oferecer aos demais.
Nesse contexto deixamos de ser donos da verdade:

  • Precisamos de nos conhecer a si próprio para promover uma auto avaliação.
  • Precisamos de certa base de conhecimentos psicológicos e gerais, acompanhada de uma auto análise constante que nos permita aprofundar dia-a-dia  a noção que temos de nossas aspirações, êxitos e insucessos.

O auto conhecimento deve resultar em melhor ajustamento na conquista da maturidade e do controle emocional, ou seja:

  • Capacidade de entender os outros e de nos fazermos entender pelos outros.
  • Capacidade de nos julgarmos e julgar os outros o mais objetivamente possível
  • Capacidade de nos aceitarmos e aceitar os outros, admitindo que ninguém é isento de falhas, mas que também encontraremos qualidades em nós e em qualquer outro ser humano, desde que desejarmos realmente encontrá-las.
  • Conhecimento de nossas habilidades e defeitos, como e o que melhorar.

Conhecer os outros implica, inicialmente, um vasto conhecimento das motivações mais comuns e freqüentes do ser humano, que impulsionam o homem a agir. Precisamos formular as idéias mais precisas das características individuais das pessoas com as quais estamos em contato, o que nos leva a conhecer e compreender as diferenças individuais, que abrangem, sem a pretensão de esgotar o assunto:

  • Tipos de inteligência
  • Diversidade dos perfis temperamentais
  • Diversidade de reação
  • Grau de cultura
  • Interesse dominante
  • Tipos de motivação e expectativas
  • Sentimentos

A obtenção do sucesso está também relacionada à atitude e às habilidades do administrador designado para, juntamente com sua equipe, atingir os objetivos traçados pela organização. Inicialmente, ele deverá levar sua equipe à obtenção do sucesso, ao atingimento das metas e para isso, deverá:

  • INTEGRAR – resgatar a vontade de todos pelo trabalho, principalmente considerando as experiências traumáticas causadas pelos processos de reengenharia ( mudança radical dos processos da empresa e a implementação de novos projetos totalmente diferentes) e corte de pessoal, integrando os funcionários ao novo contexto, mantendo uma uniformidade.
  • DESENVOLVER – planejar, dirigir, orientar e controlar o projeto a ser desenvolvido; ou seja acompanhar o desenvolvimento do trabalho a ser executado, motivando a equipe a promover o auto conhecimento.
  • ADEQUAR – desenvolver as habilidades de cada funcionário, as quais devem ser aproveitadas ao máximo; utilizando recursos como conhecimento de liderança, motivação, visão global dos acontecimentos, além de propiciar condições para que as metas sejam alcançadas.
  • BUSCAR RESULTADOS – o êxito na execução do trabalho em equipe está diretamente relacionado ao sucesso que a organização visa alcançar, tendo propósito claro.
  • IDENTIFICAR  E RESPEITAR – saber ouvir e desenvolver o ritmo de cada profissional, pois as pessoas não são todas iguais. Cada profissional; tem seu ritmo e suas habilidades, e cabe ao administrador identificá-los e aproveitar o que cada profissional tem de melhor; bem como propiciar o desenvolvimento das habilidades ausentes nos seus membros da equipe.
  • PROMOVER COESÃO – Para manter uma equipe em pleno funcionamento, deve-se criar um ambiente propício para que as metas e os objetivos de cada membro possam materializar-se.
  • ABRIR – a comunicação livre e aberta estimula e gera novas idéias, além de levá-las à concretização. Propicie a participação e a comunicação aberta.
  • OBJETIVAR – estabelecimento de perspectiva por intermédio da administração por objetivos, funções claras e atribuições de trabalho.
  • RESPEITAR – levar em conta as características individuais, o posicionamento e as limitações de cada membro envolvido no trabalho, procurando desenvolvê-los.
  • CRIAR – estimular os indivíduos a gerar idéias, produtos, soluções de problemas, alternativas de ação, etc.
  • CRITICAR CONSTRUTIVAMENTE – a equipe deverá estar confortável para discutir posicionamentos divergentes, com respeito, profissionalismo e responsabilidade,  chegando sempre a um consenso.
  • LIDERAR A SITUAÇÃO – modificar o posicionamento de liderança conforme as circunstâncias.

Lembre-se que no mundo dos negócios é preciso ser cuidadoso e as atitudes devem ser coerentes, traçando objetivos pertinentes e estimuladores. As pessoas crescem ao vencerem desafios, mas devem ter cuidado ao estipular ou motivar as metas, pois muitas vezes os objetivos ou desafios são parcialmente ou totalmente inatingíveis, fazendo com que o grupo fique desmotivado.

  • É necessário a consciência de que tão importante quanto cumprir a meta, é dedicar-se de corpo e alma à ela, ou seja comprometer-se com o seu atingimento; e nesse sentido caso não sejam cumpridas as metas, a única alternativa viável não é lamentar-se ou arrumar os “culpados de plantão”, mas sim, promover uma avaliação aberta e franca dos fatos que concorreram para a falta de sucesso.
  • Depois, corrige-se a rota e segue a vida normalmente.

Finalizando, com o trabalho em equipe, o grupo enriquece a informação atualizando-a, permitindo-se trabalhar com maior profundidade.  O importante é que você também trabalhe em equipe e não apenas fale sobre sua importância. Participe e forneça ajuda, elevando a auto estima do grupo.

Autoria:

Este estudo foi desenvolvido e aplicado à 10 mãos em 1992 pela Equipe Garavelo sob a coordenação do consultor Wanderley Pinho, posteriormente foi atualizada e revisada à quatro mãos em 1998. Em 17.02.2000 foi novamente revisada e ampliada à duas mãos. Novamente em janeiro de 2018 passou por atualizações e adaptações de conceitos à modernidade atual, à duas mãos por parte do professor e consultor Walmir da Rocha Melges, sempre dentro do tema central que é o Trabalho em equipe.

Você gostaria de receber atualizações de nosso Jornal Corporativo em tempo real? Direto no seu celular ou desktop? Use nossa tecnologia de Notificação Push, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar